Para ler se você gosta de Stranger Things

stranger things
Photo by Tamara Menzi on Unsplash

A segunda temporada de Stranger Things tá aí batendo na porta, né?

E se você ainda não está sabendo (o que é absolutamente normal), a gente te explica: Stranger Things é uma série original da Netflix dirigida pelos Duffer Brothers, que conta a história do que acontece quando Will, filho de Joyce Byers e o melhor amigo de Mike, Dustin e Lucas, desaparece misteriosamente. A partir daí, as crianças conhecem Eleven, uma menina muito esquisita com habilidades ainda mais esquisitas, e se vêem de repente tendo que desbravar o “mundo de cabeça para baixo.”

A premissa da série gira em torno do Laboratório Hawkins, responsável pela energia da cidade e que nas horas vagas faz experimentos secretos com o sobrenatural e o paranormal, e bebe da fonte de grandes produções como os Goonies com referências fortíssimas aos anos 80. O que é incrível!

Pensando nisso e em todas as aventuras que essa turminha do barulho vai se meter ao longo da primeira (e da segunda, por que não?) temporada, nós separamos uma lista de livros com personagens crianças pra você ler e se apaixonar tanto quanto nos apaixonamos por Will, Mike, Dustin, Lucas e Eleven.

Os Goonies

Não dá pra falar de Stranger Things sem falar de Goonies né? O filme de 1985 de Steven Spielberg deu origem ao livro escrito por James Kahn, que é narrado em primeira pessoa pelo personagem Mikey Walsh, e dá mais profundidade para os personagens e para a história de amizade entre os amigos, que é a grande mensagem do livro. Segundo Spielberg, “Os Goonies é, na verdade, um filme sobre a amizade, sobre manter-se unido. (…) A verdadeira magia dessa história está sobretudo naquilo que eles se tornam uns para os outros, de uma maneira muito especial.

Para comprar: Clique aqui.

Em Algum Lugar nas Estrelas

Foto: Darkside Books

O livro acompanha a história de Jake e Early, que partem atrás de uma aventura para encontrar o lendário Urso Apalache. A história é um grande e delicado exemplo de realidade fantástica e de histórias para todas as idades que nos ensinam sobre amizades que vão ficar com a gente pra vida inteira!

Para comprar: Clique aqui.

Desventuras em Série

Nós nunca cansamos de falar de Desventuras aqui no blog, e até já te demos 13 razões para ler toda a série, mas sempre é bom relembrar: os irmãos Baudelaire vivem as mais inacreditáveis desventuras enquanto crianças, e o livro é de uma inocência inteligente e mágica que só Lemony Snicket sabe nos entregar!

Para comprar: Box com os 13 livros / Primeiro livro.

Percy Jackson (série)

Eu sei, eu sei, é meio esquisito recomendar esse livro aqui considerando a última adaptação para o cinema, mas nos livros, Percy começa a viver suas aventuras com 12 anos, uma criança! Apesar de todo mundo ter ficado traumatizado com a adaptação ruim, a história dos semi-deuses gregos é não apenas incrível como extremamente educativa e mostra todo o cuidado do Rick Riordan em ensinar esses mitos para o público infanto-juvenil, mas que agrada a todo mundo 🙂

Para comprar: Box com os 5 livros / Primeiro livro.

Jumanji

Antes de virar o inesquecível filme com Robin Williams, Jumanji era um livro infantil. A história, apesar de curta, vem acompanhada de ilustrações incríveis e deixam qualquer fã do filme super nostálgico e saudoso!

Para comprar: Clique aqui.

Youtube com conteúdo: os canais que a gente mais gosta!

youtube
Photo by Prasanna Kumar on Unsplash

Youtube é o lugar onde todo mundo quer estar, né? E é uma ferramenta incrível para dar voz a muita gente que pensa super diferente e que abre diálogo sobre vários assuntos. Você consegue achar literalmente de tudo no Youtube, e passar horas lá, desde os vlogs mais fofos até os canais mais engraçados.

Como nós adoramos recomendar coisas pra vocês, resolvemos fazer uma listinha com os canais que a gente mais gosta de ver pra aprender coisas novas e despertar até discussões internas! Temos certeza que vocês vão adorar 😉

IMPORTANTE: não estamos, de maneira nenhuma, tirando mérito de todos os outros canais do Youtube. O objetivo desse post é juntar alguns canais que são mais dedicados a serem educativos. É possível aprender com todo tipo de vídeo 🙂

Spartakus

A missão do publicitário Spartakus Santiago é muito simples: descomplicar textões. E é isso mesmo que ele faz, basta pegar qualquer vídeo dele pra ver o quão didáticas soam todas as coisas, mesmo que as mais polêmicas:

Muro Pequeno

Ainda na vibe de textões polêmicos bem explicados, um favorito pessoal é o Muro Pequeno, canal do Murilo, que assim como o Spartakus se propõe a explicar bem direitinho diversos assuntos que nos tiram da nossa bolha.

Afros e Afins por Nátaly Neri

A Nátaly é uma das pessoas mais incríveis e inspiradoras na internet, e o canal dela tem de tudo. Desde discussões mais pesadas sobre saúde mental e racismo, até vídeos bem relaxantes sobre bullet journal e discussões como essa:

Louie Ponto

A Louie talvez seja o ser humano mais fofo de toda a internet, e tem um dos meus canais favoritos. Muito embora ela não tenha postado com muita frequência, ela tem vídeos incríveis que sempre me fazem pensar.

Nostalgia

O canal Nostalgia, do Felipe Castanhari, é um dos canais mais completos do Youtube e surgiu há sei lá quanto tempo (bem profissional euzinha). Eu nem lembro qual foi o primeiro vídeo que eu assisti, só sei que me apaixonei na hora e nunca mais parei de acompanhar. Isso porque eu amo fazer as coisas ouvindo alguém conversando, então o canal sempre funcionou pra mim como uma espécie de podcast.

Como o próprio nome sugere, o Nostalgia fala sobre assuntos nostálgicos, mas não é só isso! De um ano e meio mais ou menos pra cá, o Felipe começou a falar também sobre coisas muito importantes de serem discutidas no Nostalgia HISTÓRIA, e curiosidades sobre ~espaço e tempo~ no Nostalgia CIÊNCIA.

Pipocando

Nossa última indicação aqui é o canal do Rolandinho e do Bruno, que falam sobre cinema de uma maneira super espontânea e recheadíssima de pesquisas. Hoje em dia, além dos vídeos de cinema, o Pipocando também tem dois canais “filhos”: o Pipocando Música e o Pipocando Games.

Você costuma acompanhar esses canais? Tem alguma dica pra gente? 😉

Como cuidar de suculentas

Foto: The Succulent Source

Aviso: Este post foi escrito por uma pessoa que adoraria ter o dedo verde e mil plantinhas por aí mas em apenas um ano foi capaz de matar duas suculentas e hoje em dia se contenta com um cacto de papel na cabeceira da cama ¯\_(ツ)_/¯ (#dramasreais)

Suculentas estão “na moda” há um tempo, muito em parte pelo fato de serem plantas de baixa manutenção e simples de cuidar (ainda que eu tenha matado duas, R.I.P. Madalena e Helena), sem contar que são bem fofas e existem inúmeros tipos diferentes, dá para combinar várias e criar um mini-jardim. Mas serem fáceis não significa que não necessitem de cuidados – plantas também são seres vivos, precisam de atenção e rotina como todos nós, ainda que não exijam muito.

Nunca regar, regar quando lembra (e consequentemente matar a planta afogada), não colocar para tomar sol, solo inadequado… São alguns detalhes que, para as suculentas, são necessidades básicas. Como gostaria de me aventurar e tentar mais uma vez trazer verde para dentro de casa, esse post é meio que um apanhado de informações e dicas que encontrei por aqui e achei que vale a pena compartilhar, já que é sempre positivo trazer vida e se dedicar a cuidar de algo 🙂

Preparando o terreno:

A gente aprende na escola que terra fértil é aquela toda fofa de umidade e cheia de minhoca, super macia, né? Isso não está exatamente errado, mas não faz o tipo da suculenta! Elas gostam de um terreno mais arenoso, então você pode misturar a terra adubada com areia de construção – lojas específicas já tem um mix pronto para cactos e suculentas, vale perguntar 😉

A dica é: não pode ser uma terra pesada, tem que ser mais fina para permitir que a água escoe. Tem gente que mistura aquelas pedrinhas brancas (que parecem de aquário, sabe?) no solo para reter a umidade e evitar compactação do solo, além de ficar bem bonitinho.

É bom trocar o solo pelo menos uma vez ao ano, e também fazer troca de vasos por um maior, que permita que sua planta possa crescer! No meu caso, é torcer pra dar tudo certo e a bonita sobreviver por tudo isso, mas #focoforçafé!

Importante: não use areia de praia! Por mais que a suculenta seja considerada fácil de manter, ela exige atenção com o solo e areia de praia contém sal, que vai fazer mal para sua plantinha.

Luz é vida!

Foto: Curbly

Assim como os cactos, a maioria das suculentas precisa de sol direto para sobreviver. É bom dar um google na espécie que você tem, porque também existem aquelas que preferem um contato indireto com os raios solares, mas grande parte vai ficar deprimida e murcha se você deixá-la no banheiro, estantes ou locais onde o sol não alcança.

Isso não quer dizer que elas curtem ficar esturricadas no sol também, viu? Não adianta deixar a planta fritando na varanda (sol demais não faz bem nem para gente, nem para elas!), especialmente se bate um sol forte e intenso, porque pode amarelar as folhas, e perder aquele viço bonito que elas tem. O ideal é deixar em um canto próximo, que ainda seja bem iluminado.

Se a sua suculenta é do time das que preferem luz indireta ou poucas horas de exposição ao sol, ainda sim é importante que o ambiente seja iluminado – elas são intolerantes aos ambientes de sombra.

Hora do banho

Se você não quiser matar sua amiga por desidratação e/ou afogamento, é muito importante mesmo criar uma rotina de regas. Cada lugar diz uma coisa e eu não sou a melhor pessoa do mundo para sanar dúvidas devido ao meu histórico, mas pelo que entendi não tem muito mistério: suculentas, assim como cactos, precisam de pouca água para sobreviver, já que suas folhas fofinhas armazenam o líquido e as tornam resistentes à seca.

Mas ainda sim, precisam de água. O que as pessoas dizem é que a frequência das regas vai depender de onde você mora, clima, iluminação etc e tal, então depende de você prestar atenção no ambiente que cerca sua planta, mas que em média, é de 10 a 15 dias.

O pulo do gato é perceber o solo: se você encostar com o dedo ou mesmo um palito e a terra estiver úmida, ainda não está na hora. Se estiver 100% seca, pode regar – e aí, a recomendação é que seja diretamente no solo, e não nas folhas (que podem apodrecer). Também é importante deixar a água escorrer.

O tipo do vaso

Foto: Ruffled Blog

Certeza que você já viu no Pinterest da vida as suculentas todas lindinhas plantadas dentro de xícaras ou aqueles terrários mais maluquinhos. A real é que as plantas são versáteis e permitem diversos arranjos, mas alguns cuidados devem ser tomados quando elas estão em recipientes fora do padrão, justamente para que o solo não fique úmido demais.

Se você é total iniciante que nem eu, dê preferência aos vasos que tem furos de drenagem, e permitem que a água escoe completamente. Ouvi dizer por aí que vasos de cerâmica, barro ou fibra de coco são alguns dos queridinhos por quem gosta dessas plantas, mas né… Desde que você cuide direitinho da sua amiga verde, acho que tá tudo bem!

Outras dicas de ouro:

Gif”Drew Jackson
  • Arranque folhinhas secas ou que estejam morrendo. Dessa forma, sua suculenta continua crescendo bonita e saudável 😉
  • A Madalena, minha primeira suculenta, começou a crescer para cima! Depois de dar uma pesquisada, descobri que não era que ela estava saudável e sim porque não recebia sol o suficiente e a planta tentava “alcançar” mais iluminação.
  • Entre a primavera ao outono é a época em que as suculentas mais crescem, então elas vão precisar de mais água – mas, de novo, atenção ao limite delas! Não vai matar as bichinhas afogadas, hein? Também é uma época ideal para trocar o solo e dar um up na energia delas.
  • Durante o inverno a preocupação pode ser menor, o intervalo entre as regas é maior e ela vai dar uma pausa no crescimento, mas não vai esquecer de dar atenção e água.

Vamos ver se #agoravai e consigo ter uma plantinha que sobreviva! E vocês, tem dicas de como cuidar de suculentas ou outras plantas?

PS: fica aqui o registro da minha atual habilidade com plantinhas. Emanoel, meu cacto de papel