Alike: não ensine as crianças a esquecer de viver

Às vezes, no meio da correria da vida a gente esquece… de viver. De apreciar as pequenas coisas, de olhar ao redor, de tentar algo novo. E quando a gente se dá conta, estamos igual ao resto: meio acinzentados.

Essa é a mensagem da animação espanhola Alike (“Igual”), produzida por Daniel Martínez e Rafa Cano Méndez. O curta, com cerca de oito minutos, fala sobre um pai trabalhador e seu filho – que não se conforma muito bem com as imposições da escola e tem uma imaginação fértil. O pai tenta ensinar o caminho certo para seu filho, mas… O que é o caminho certo?, provoca a sinopse.

Com design simples e uma trilha sonora bonitinha, o filme encanta e traz uma mensagem poderosa:

Para mim, a reflexão foi ainda mais profunda do que apenas colorir o cotidiano. Isso tudo é importante, claro. Mas fiquei pensando sobre os modelos que a nossa sociedade passa para as crianças e como elas absorvem isso, como a escola muitas vezes pode ter um papel de restringir nossa imaginação e o quão importante é repensar tudo isso.

O pai cumpre horários, regras, metas e tem um dia a dia enfadonho – perde até a cor! –, e seu ânimo só retorna quando reencontra o filho. A questão é que ele não enxerga de cara que está repetindo o mesmo padrão com a criança, ensinando-o a viver dentro de um molde que o deixa infeliz. Até mesmo o prédio do trabalho e da escola são iguais, se você reparar.

No fim, a mensagem que ficou martelando na minha cabeça após ver Alike é que a gente não pode deixar a criança interior morrer, nem a nossa e nem a dos pequenos.

Comente pelo facebook

Deixe seu comentário!