Bullet Journal 101: O que usar para começar?

https://www.instagram.com/journalsanctuary/

Nós já falamos muito aqui no blog sobre bullet journal, e é, no momento, meu método favorito de organizar minhas tarefas.

Recapitulando, bullet journal é um método criado pelo designer de produto americano Ryder Carroll que consiste no rapid logging, ou seja, um lugar pra você anotar rapidamente todas as tarefas que você precisa fazer no dia, na semana e no mês. Com o tempo, o método foi sendo adaptado, e hoje em dia até pode ser misturado com entradas de diário.

Mas isso você pode ler de forma mais completa aqui nesse post.

Hoje, nós vamos falar sobre dúvidas bem pontuais que surgem quase sempre que se fala de bullet journal: quais materiais usar para começar?

“Comece com o que você tem”

Essa é a minha primeira dica de todas. Eu costumo dar o exemplo da minha irmã, que começou o bullet journal dela num caderno sem pauta, e de um amigo meu, que começou o dele com uma caneta comum e um caderninho pequeno de pauta.

Volto a dizer que mais importante que qualquer material é a funcionalidade, e pra parada funcionar você pode usar literalmente qualquer coisa.

Mas, já que vocês estão aqui pras dicas pontuais de materiais mesmo, vamos pras dicas pontuais!

Caderno: sem pauta, pontado ou quadriculado?

Já começo dizendo com absoluta certeza que se você escreve muito vai só se frustrar se comprar um caderno sem pauta, como um caderno de desenho, por mais que eles sejam os que têm as capas mais bonitas. Também posso dizer que cadernos normais e pautados não são comuns pra bullet journal mas funcionam BEM MAIS que os sem pauta, por mais que pareça limitador.

Agora vamos à dúvida real: se sem pauta não serve e pautado serve mais ou menos, eu compro pontado ou quadriculado?

Eu pareço um disco furado, mas, vai da sua necessidade. Eu passei um ano usando o caderno pontado, e vou fazer a transição para um caderno quadriculado. Isso porque, pra minha necessidade de escrita, eu testei um papel quadriculado e achei melhor pra escrever, já que eu escrevo bastante. Se você escreve só as suas tarefas, de uma forma extremamente pontual e sucinta, não vai ter muitos problemas com os pontados.

O que fazer pra decidir se você não quer comprar o caderno antes de ter certeza? Imprima folhas quadriculadas e pontadas numa folha de sulfite mesmo e teste por alguns dias 😉

Caneta: comum ou nanquim?

Essa é muito mais uma questão de facilidade e questão estética do que uma dúvida real de qual material é melhor. Em matéria de caneta, REALMENTE não há um material que seja melhor –talvez aquele que não vaza? Mas também depende do papel.

Tem gente que tem muito mais prática escrevendo com caneta nanquim (aquelas de ponta extremamente finas e bem pigmentadas, semelhantes a uma tinta mesmo), e tem gente que não se dá bem com elas de jeito nenhum, seja por questão de hábito seja por questão de que você tem o costume de passar a mão e borrar muito facilmente. Como eu sempre fui ilustradora, escrever com caneta nanquim nunca foi um problema real.

Uma dica que eu dou se você estiver disposto a investir numa caneta mais diferentona: compre a Pilot Frixion. Você consegue achá-la tanto na grossura de uma caneta nanquim (mais fina) quanto na de uma caneta esferográfica normal, com a diferença de que ela é apagável (isso mesmo!), e super útil se você errar alguma grafia ou quiser ajustar planos. Antes de comprar, porém, vale testar se o papel que você tá usando aguenta/vaza. Você pode achar essa caneta tanto em papelarias online como a Plataforma 81 quanto em lojas mais comuns como a Kalunga.

Marcadores: qual escolher?

Aqui começam os materiais mais elaborados e é minha dica pra você que quer um bullet journal mais colorido e não necessariamente manja de decoração. O primeiro passo para alcançar “o bullet journal perfeito” (que não existe, necessariamente) está em achar o marcador que mais combina com você.

Na ordem da foto:

  • Pilot Frixion: a mesma linha de canetas apagáveis para anotações também tem uma linha de marcadores apagáveis. São um dos marcadores mais indicáveis não só por serem apagáveis como também por serem clarinhos, delicados e não vazarem tão facilmente. De cabeça, tenho certeza que existem as cores rosa, amarela, verde e lilás.
  • Tombow: são marcadores mais usado por ilustradores. Por serem muito caros, não são a primeira opção, mas são super pigmentados, mesmo as cores claras. Uma coisa ruim é que a maioria das cores mais escuras vazam pra página de trás.
  • KOI Sakura: bastante similar à Tombow, as únicas diferenças além do preço levemente menor é que elas não vazam muito.
  • Muji: são um pouco mais difíceis de achar e delicadas como as Frixion. Uma coisa boa das Mujis são a variedade (possuem alguns modelos apagáveis também), e também é uma das levemente mais em conta.
  • Zebra Mildliner: é, definitivamente, A MAIS DIFICIL de achar, e a mais popular nos instagrams de bullet journal por ser bonitinha e possuir duas pontas, como a maioria dos marcadores. Entre os atrativos estão a variedade de cores pasteis e que dificilmente vazam para a página de trás.
  • Stabilo (não aparece na foto): é talvez a marca mais em conta. Os marcadores custam cerca de 6 reais cada (em comparação aos 12, 13 e até mesmo 20 dos outros), possui uma linha linda de tons pastéis além dos tradicionais tons neon. Um ponto ruim, porém, é que ela é tão pigmentada a ponto de vazar pra página de trás na maioria dos cadernos (uns mais e outros menos).

Washi tape: o que é? Precisa mesmo?

A partir desse item, tudo é absolutamente opcional.

Talvez a parte mais divertida de qualquer compra de ~acessórios~ para bullet journal sejam as washi tapes (fitinhas coloridas e decoradas) e muito embora você possa comprar pela internet (em papelarias online ou no Ali Express), se você for de São Paulo pode ir em bairros como a Liberdade para mergulhar no mundo de washi tapes e escolher suas favoritas.

Como é praticamente impossível recomendar por desenho, vou recomendar algumas “categorias” que eu julgo essenciais pra você começar a sua jornada por esse mundo:

  • Cores lisas: tenha sempre uma ou duas fitinhas de cores lisas, preferencialmente as suas favoritas ou aquelas que combinam com os marcadores que você escolheu. É sempre bom na hora de fazer composições.
  • Fundo transparente: existem washis com fundo transparente que dão todo um ar delicado na página caso você queira, por exemplo, colar uma citação, uma foto ou um papelzinho de lembrança.
  • Desenho: nuvenzinhas com coração, plantinhas… O que você mais gosta? Washi tapes são caras, em sua maioria, então eleja uma para ser a sua arma secreta.

É muito legal ter várias, mas tá vendo como não precisa?

Outros acessórios: recortes, papel de carta, adesivos, post-it…

É bastante útil em dois momentos especialmente:

1) Pra você que gosta do bullet journal mais “bagunçado” como a foto que ilustra esse post;
2) Se sente super bem fazendo colagens e acha isso super terapêutico e
3) Quer incrementar suas entradas e dias com adesivos fofinhos por preguiça (quem nunca) ou falta de habilidade no desenho.

Esse item é, na real, o mais livre de todos, e as possibilidades são incríveis e praticamente infinitas:

  • Pinterest: eu tenho um board no Pinterest dedicado apenas às imagens que eu imprimo em papel adesivo e uso nas minhas composições. Uma das melhores coisas do Pinterest é que é super fácil de achar os artistas originais.
  • Daiso (ou similares): ir a uma loja e ficar na “estante” de adesivos me transporta direto pra minha infância, e é um dos sentimentos mais delícia.
  • Fotos: impressas em casa mesmo ou fotos de Instax, esses pequenos detalhes complementam suas páginas e deixam tudo com uma cara muito mais sua.

Esses são só alguns dos materiais que são exemplos de como vale tudo na hora de enfeitar seu bullet journal!

E aí? Vamos começar?

Respire fundo! – Semana 50 #playlist

Sabe quando nosso computador está sobrecarregado e a gente precisa reiniciar? Nosso corpo também se sente assim às vezes, e aí precisamos desligar por alguns segundos dos nossos pensamentos, obrigações e de todo o peso para que possamos seguir em frente com o dia.

Essa semana, a gente incentiva que você faça o exercício de tirar um tempo para “reiniciar” todos os dias!

Vamos respirar fundo?

Essa playlist foi feita especialmente inspirada no livro Recados do bem e na semana representada no título. Se você está acompanhando a leitura, aproveite! Toda semana, divulgamos uma nova no nosso perfil do Spotify. Se você ainda não acompanha a gente, segue lá agora: indiretasdobem.com/play!

Paciência é para os fortes – Semana 49 #playlist

Sentir emoções contraditórias é normal e o segredo é encarar situações de frente, já que o primeiro passo para sair de uma situação incômoda ou dolorosa é conhecê-la.

Procure mudar hábitos e mudar alguns aspectos da sua rotina para manter o coração aberto, o raciocínio claro e equilíbrio, para que as mudanças tenham resultado e você volte a se sentir bem.

Esse é um processo diário, então lembre-se de se reconhecer como apenas humano, e ser gentil consigo mesmo 😉

Essa playlist foi feita especialmente inspirada no livro Recados do bem e na semana representada no título. Se você está acompanhando a leitura, aproveite! Toda semana, divulgamos uma nova no nosso perfil do Spotify. Se você ainda não acompanha a gente, segue lá agora: indiretasdobem.com/play!