Animal Crossing Pocket Guide: tudo sobre o novo jogo da Nintendo para celular!

Recentemente, a Nintendo lançou oficialmente o Animal Crossing: Pocket Camp, o primeiro jogo para smartphones da franquia, disponível gratuitamente para Android e iOS. Eu e a Duds estamos viciadas e queremos compartilhar tudo sobre ele!

Para quem nunca jogou Animal Crossing, a série é o equivalente da Nintendo do The Sims. Mas, diferente do famoso jogo de simulação da vida real, ao invés de ambições para preencher a vida dos Sims, a ideia é socializar com seus vizinhos (que são animais falantes) e construir amizades, decorar sua casa, pescar/colher frutas/capturar insetos e coletar recursos para viabilizar obras e personalizar sua vila. É importante entender que o jogo não tem um objetivo final: em New Leaf você é o prefeito da cidade, em Happy Home Designer o foco é decorar as casas, mas tudo é muito livre e você pode seguir seu próprio ritmo sem muita pressão.

Essa, na verdade, é minha parte favorita em Animal Crossing – independente de jogar 10minutos ou 3horas, você não precisa se preocupar em avançar e terminar o jogo, ou com aquela fase difícil. Pessoalmente, gosto dessa liberdade e da falta de objetivo específico, porque senão acabo muito viciada nos jogos e sinto uma urgência enorme de completar, o que acaba diminuindo parte da experiência do jogo em si.

Em Pocket Camp, você é responsável por gerenciar um acampamento – abastecendo o espaço com itens e atrações, mantendo amizades com os animais e convidando-os para seu acampamento. Você ainda completa tarefas e acumula itens, constrói móveis e decora seu camping do jeito que preferir. Para criar amizade com os personagens e fazer com que eles se mudem para seu espaço, é preciso procurar certos itens e construir mobílias que os agradam.

O jogo é bem fácil, intuitivo e tem uma atmosfera leve – você não precisa entrar o tempo todo, mas sempre que abrir vai encontrar algo para fazer. Através do mapa, é possível viajar por diversas áreas e, em casa uma delas, encontra personagens e coisas distintas a fazer e que são essenciais para a manutenção do jogo. Chacoalhe as árvores e colha os frutos, fique de olho nos lagos/rios/beira do mar para pescar e não se esqueça de capturar borboletas e outros insetos! (dica: horários diferentes trazem resultados diferentes. Existem peixes e insetos que só aparecem de dia, outros que são noturnos, então vale a pena checar ao longo do dia!)

Essa é a base da obtenção de bells, a moeda do jogo: é comum que os animais te peçam favores e você tenha que entregar alguns desses itens em troca de moeda, madeira, papel e outros recursos para construir e personalizar seu camping. Isabelle, a nossa assistente preferida, está aqui para te ajudar também, então não hesite em interagir com ela se quiser alguma dica no início do jogo.

Além disso, também é possível usar dinheiro real e comprar a moeda chamada Leaf Ticket (que você também ganha, aos pouquinhos, quando sobe de nível ou completa outras metas). É perfeitamente possível jogar sem comprá-las, mas se você quiser acelerar alguns processos ou obter certos itens especiais, pode ser bem útil! Você ainda pode adicionar amigos, visitar o acampamento deles e trocar alguns itens entre si (muito útil quando você precisa entregar uma maçã mas não tem nenhuma disponível no momento para colher!)

Por enquanto ouvi diversas reclamações de servidor instável, mas provavelmente é porque essa é a primeiríssima versão. No mais, achei o Pocket Camp ideal, pois tem uma dinâmica mais ágil que outras versões de Animal Crossing e conseguiu balancear personagens favoritos e funcionamentos icônicos do original, com novas funcionalidades adaptadas para o mobile e em um formato mais simples. Eu não ando com meu Nintendo 3Ds o tempo todo, mas ando com o celular então fica prático abrir o jogo!

Além disso, o jogo não te força a entrar o tempo todo como outros que já testei (e logo desinstalei, porque me enchem o saco) – você não vai perder o progresso se demorar ou esquecer de jogar algum dia, sabe?

Mas, pra ser bem sincera, é difícil largar o celular: é tudo muito bonitinho e caprichado, dá vontade de ficar conversando com os animais ou, sei lá, só ficar passeando e colhendo conchinhas na praia. Se quiser me adicionar, meu ID é: 4332 7072 881 🙂

2018 vem aí: calendários para imprimir (printables/freebies)

Tem gente que me acha meio doida por já estar com o pé em 2018, mas a verdade é nunca é cedo demais para começar a se organizar! Seja agenda, planner ou bullet journal, é sempre válido ter uns calendários lindos a mão para se organizar.

Selecionei várias opções para baixar e imprimir de graça! 😉 Alguns sites pedem para você inscrever seu e-mail, mas é tudo rapidinho e vale muito a pena. Qual seu favorito?

Zü – Le Blog

Começando pelo meu favorito de todos os tempos, a verdade é que esse calendário… Não é de 2018! 🙁 Fuén, fuén. Acontece que a Juliett Collet lança todo mês um calendário novo para imprimir, então precisa acompanhar mês a mês. Eu baixo os calendários dela e wallpapers de celular desde 2015, são muito fofos!

A parte boa é que não tem desculpa pra esperar ano-novo, pode se organizar pra já! Baixe aqui a versão de Novembro 2017.

Emma Studies

Emma faz sucesso com seu instagram de estudos e criou um planejador mensal simples, mas super prático! São três versões disponíveis, em seis cores – tudo bem organizado para você baixar seu favorito. Clique aqui para baixar.

Simple As That

O site Simple as That é outro que tem uma versão simples, mas super prática: com espaço para anotar coisas a fazer embaixo de cada mês. Baixe aqui.

Wonder And Wildness

Você curtiu o post das suculentas e agora quer as plantinhas em tudo quanto é lugar? Esse calendário com ilustrações em aquarela do site Wonder And Wildness é uma graça! Clique aqui para baixar.

Short Stop Designs

Short Stop Designs tem calendários texturas e ilustrações diferentes a cada mês, mas uma coisa todas tem em comum: são alegres e contagiantes! Baixe aqui.

The Cottage Market

Como resistir às ilustrações de doguinhos do The Cottage Market? Não tem como! Baixe aqui.

Dica: esse site faz vááárias versões de calendários! Tem de Harry Potter, das princesas da Disney, Stranger Things, … Um montão de opções bacanas, vale muito a pena dar uma investigada no site 😛

A Piece of Rainbow

O site A Piece of Rainbow disponibiliza há anos o modelo em 3D para baixar, mas ele ainda não está pronto! pra não deixar a gente na ansiedade, liberaram uma versão com ilustrações florais, baixe aqui.

 

 

Colorful Disaster

 

Por fim, o calendário do Colorful Disaster do ano que vem tem frases inspiradoras e fundo de aquarela, quer mais o quê? É para animar todo mundo! Download aqui.

Sem desculpa, vamos tornar 2018 o seu melhor ano! 🙂

 

Como cuidar de suculentas

Foto: The Succulent Source

Aviso: Este post foi escrito por uma pessoa que adoraria ter o dedo verde e mil plantinhas por aí mas em apenas um ano foi capaz de matar duas suculentas e hoje em dia se contenta com um cacto de papel na cabeceira da cama ¯\_(ツ)_/¯ (#dramasreais)

Suculentas estão “na moda” há um tempo, muito em parte pelo fato de serem plantas de baixa manutenção e simples de cuidar (ainda que eu tenha matado duas, R.I.P. Madalena e Helena), sem contar que são bem fofas e existem inúmeros tipos diferentes, dá para combinar várias e criar um mini-jardim. Mas serem fáceis não significa que não necessitem de cuidados – plantas também são seres vivos, precisam de atenção e rotina como todos nós, ainda que não exijam muito.

Nunca regar, regar quando lembra (e consequentemente matar a planta afogada), não colocar para tomar sol, solo inadequado… São alguns detalhes que, para as suculentas, são necessidades básicas. Como gostaria de me aventurar e tentar mais uma vez trazer verde para dentro de casa, esse post é meio que um apanhado de informações e dicas que encontrei por aqui e achei que vale a pena compartilhar, já que é sempre positivo trazer vida e se dedicar a cuidar de algo 🙂

Preparando o terreno:

A gente aprende na escola que terra fértil é aquela toda fofa de umidade e cheia de minhoca, super macia, né? Isso não está exatamente errado, mas não faz o tipo da suculenta! Elas gostam de um terreno mais arenoso, então você pode misturar a terra adubada com areia de construção – lojas específicas já tem um mix pronto para cactos e suculentas, vale perguntar 😉

A dica é: não pode ser uma terra pesada, tem que ser mais fina para permitir que a água escoe. Tem gente que mistura aquelas pedrinhas brancas (que parecem de aquário, sabe?) no solo para reter a umidade e evitar compactação do solo, além de ficar bem bonitinho.

É bom trocar o solo pelo menos uma vez ao ano, e também fazer troca de vasos por um maior, que permita que sua planta possa crescer! No meu caso, é torcer pra dar tudo certo e a bonita sobreviver por tudo isso, mas #focoforçafé!

Importante: não use areia de praia! Por mais que a suculenta seja considerada fácil de manter, ela exige atenção com o solo e areia de praia contém sal, que vai fazer mal para sua plantinha.

Luz é vida!

Foto: Curbly

Assim como os cactos, a maioria das suculentas precisa de sol direto para sobreviver. É bom dar um google na espécie que você tem, porque também existem aquelas que preferem um contato indireto com os raios solares, mas grande parte vai ficar deprimida e murcha se você deixá-la no banheiro, estantes ou locais onde o sol não alcança.

Isso não quer dizer que elas curtem ficar esturricadas no sol também, viu? Não adianta deixar a planta fritando na varanda (sol demais não faz bem nem para gente, nem para elas!), especialmente se bate um sol forte e intenso, porque pode amarelar as folhas, e perder aquele viço bonito que elas tem. O ideal é deixar em um canto próximo, que ainda seja bem iluminado.

Se a sua suculenta é do time das que preferem luz indireta ou poucas horas de exposição ao sol, ainda sim é importante que o ambiente seja iluminado – elas são intolerantes aos ambientes de sombra.

Hora do banho

Se você não quiser matar sua amiga por desidratação e/ou afogamento, é muito importante mesmo criar uma rotina de regas. Cada lugar diz uma coisa e eu não sou a melhor pessoa do mundo para sanar dúvidas devido ao meu histórico, mas pelo que entendi não tem muito mistério: suculentas, assim como cactos, precisam de pouca água para sobreviver, já que suas folhas fofinhas armazenam o líquido e as tornam resistentes à seca.

Mas ainda sim, precisam de água. O que as pessoas dizem é que a frequência das regas vai depender de onde você mora, clima, iluminação etc e tal, então depende de você prestar atenção no ambiente que cerca sua planta, mas que em média, é de 10 a 15 dias.

O pulo do gato é perceber o solo: se você encostar com o dedo ou mesmo um palito e a terra estiver úmida, ainda não está na hora. Se estiver 100% seca, pode regar – e aí, a recomendação é que seja diretamente no solo, e não nas folhas (que podem apodrecer). Também é importante deixar a água escorrer.

O tipo do vaso

Foto: Ruffled Blog

Certeza que você já viu no Pinterest da vida as suculentas todas lindinhas plantadas dentro de xícaras ou aqueles terrários mais maluquinhos. A real é que as plantas são versáteis e permitem diversos arranjos, mas alguns cuidados devem ser tomados quando elas estão em recipientes fora do padrão, justamente para que o solo não fique úmido demais.

Se você é total iniciante que nem eu, dê preferência aos vasos que tem furos de drenagem, e permitem que a água escoe completamente. Ouvi dizer por aí que vasos de cerâmica, barro ou fibra de coco são alguns dos queridinhos por quem gosta dessas plantas, mas né… Desde que você cuide direitinho da sua amiga verde, acho que tá tudo bem!

Outras dicas de ouro:

Gif”Drew Jackson
  • Arranque folhinhas secas ou que estejam morrendo. Dessa forma, sua suculenta continua crescendo bonita e saudável 😉
  • A Madalena, minha primeira suculenta, começou a crescer para cima! Depois de dar uma pesquisada, descobri que não era que ela estava saudável e sim porque não recebia sol o suficiente e a planta tentava “alcançar” mais iluminação.
  • Entre a primavera ao outono é a época em que as suculentas mais crescem, então elas vão precisar de mais água – mas, de novo, atenção ao limite delas! Não vai matar as bichinhas afogadas, hein? Também é uma época ideal para trocar o solo e dar um up na energia delas.
  • Durante o inverno a preocupação pode ser menor, o intervalo entre as regas é maior e ela vai dar uma pausa no crescimento, mas não vai esquecer de dar atenção e água.

Vamos ver se #agoravai e consigo ter uma plantinha que sobreviva! E vocês, tem dicas de como cuidar de suculentas ou outras plantas?

PS: fica aqui o registro da minha atual habilidade com plantinhas. Emanoel, meu cacto de papel