Desculpa o sumiço

Eu poderia começar mandando um “desculpa o sumiço”, mas a real é que eu sumi até de mim mesma e pra isso eu não tenho uma boa desculpa que justifique as coisas que aconteceram.

Quando uma mudança muito grande acontece na nossa vida, em algum momento a gente se sente afundando e parece não conseguir mais nadar de volta até a superfície. Tem uma música das maravilhosas Tegan and Sara que fala: It’s a silly time to learn to swin when you start do drown. Eu me senti assim por algum tempo nesse ano. Senti que quanto mais fundo aquela pedra me puxava pra baixo, mais vontade eu tinha de transformar aquele canto em esconderijo. Era meio tarde pra aprender a nadar, então por que eu sairia dali? Escondida tudo parecia tão bem!

Foi engraçado porque eu passei por esses meses ruins na época em que começaram as tretas políticas aqui no Brasil. Eu ouvia a televisão de longe, ligada na TV Senado que a minha mãe assistia 24 horas, com um monte de político berrando, brigas e mais brigas, manifestações e claro, os fogos que eu ouvia da minha janela o tempo todo. Eu sentia como se o mundo inteiro estivesse desmoronando junto comigo, isso era possível? Será que finalmente a Susan Miller tinha acertado as previsões do mercúrio retrógrado que eu nunca entendi muito bem o que era, mas sempre culpava por todos os problemas mundiais?

Nessa época eu parei de tentar nadar e só abracei meus problemas. A questão é que em algum momento eu percebi: o problema não era me esconder lá no fundo quentinho, mas sim que em algum momento eu precisaria sair dali, seja pra responder um email de trabalho, seja pra atender a porta quando o faxineiro tocasse pra recolher o lixo da semana:

– Tem lixo hoje, dona Jessica?
– Olha Zé, tem duas caixas de pizza vazias e a minha vontade de viver. Você pode recolher aqui pra mim?? Obrigadaa

Eu me senti totalmente sem perspectiva, como se eu não fosse ser feliz de novo após tudo que eu passei. E preciso deixar claro que isso não era propriamente depressão e também não era um dos meus ataque de ansiedade, era só medo de seguir em frente. E às vezes era até medo do próprio medo acontecer, mesmo sabendo que aí sim era coisa da minha ansiedade falando mais alto.

Em algum momento todo mundo vai passar por uma mudança drástica na vida, seja a perda de um parente que você ama, o fim de um relacionamento,  o que for. Eu passei por tudo isso nesse ano e tô aqui, ainda mais forte do que eu jamais imaginei estar. Talvez eu ainda não consiga entender muita coisa que aconteceu e ainda está acontecendo, mas a vida é assim mesmo. Tem uma ilustrinha do Aure que exemplifica bem algumas conclusões que eu cheguei nesse 2016 muito louco: viver é um caos, mas é assim que as coisas funcionam – e tá tudo bem! Com o tempo a gente aprende a lidar um pouquiiinho melhor com as coisas e a seguir em frente de um jeito ou de outro.

Hoje o que eu posso dizer pra vocês é “desculpa o sumiço, mas eu precisava dele pra me reencontrar” (:

Comente pelo facebook

6 comments

  1. Priscila

    Jess, você é uma pessoa que eu gostaria de conhecer e com sorte, se tornar amiga.
    Muita luz pra você <3

    1. Jessica GreccoJessica Grecco

      Ah, Priscila! Que linda <3 Obrigada, vamos ser migas sim haha! Beijo

  2. Oi Jess, te acompanho desde 2014 e mesmo nunca dando as caras pelo blog, não deixo um post passar. Saiba que tanto você e a Ari já me ajudaram tantas vezes sem saber, que ”obrigada” é pouco para dizer o quão grata sou pela vida de vocês.
    E mais uma vez, você transformou meus sentimentos em palavras e tocou no meu íntimo. As coisas não andam tão bem e sumir tem sido a única opção, mas eu sei que no final, tudo vai ficar bem. E você acaba de confirmar isso. Saiba que ler algo assim é reconfortante.
    As vezes é bom estacionar na dor, mas sempre precisamos andar com nosso carro. E nesse curto período de andanças por aí, até a próxima parada, pode até mesmo sair belos textos como esse! O importante é saber aproveitar a viagem.

    Mais uma vez, obrigada!

    Beijos,

    Julia.
    porfavorjulia.com

    P.S: escuta essa musiquinha aqui: https://www.youtube.com/watch?v=4GFtjl6Gsjk

    1. Jessica GreccoJessica Grecco

      Julia, ó um abracinho virtual daqui com muito amor! <3 Obrigada de coração. Vai dar tudo certo, pode ter certeza!

  3. Denise

    Seu comentário está aguardando aprovação 🙂

    Olá Jessica , realmente todo mundo passa por algo assim … no meu caso foi 2015 , em uma quinta feira estava casada e indo trabalhar como de rotina , no meio do caminho recebo uma ligação que meu avô tinha falecido !
    Na sexta feira enterrei meu avô e no domingo meu marido pede o divórcio de 5 anos , 2 meses depois perdi meu melhor amigo de infancia em um acidente de moto eu vivia totalmente alienada … nada mais fazia sentido … hj já se passa de 1 ano , e eu tô bem …mas sempre vem as lembranças … e estou aprendendo a viver com elas … As vezes tenho a sensação que vou perder alguém de novo … tento viver com isso todos os dias … A verdade que a gente sempre da um jeito pra vida continuar …. eu sei que tive fias ruins … mas também tenho os dias bons … e eles compensam os outros !

    Bjos Jessica !

    1. Jessica GreccoJessica Grecco

      Oi Denise, entendo bem o que você passou 🙁 Viva um dia de cada vez, é clichê mas é verdade. Com o tempo os dias bons vão aumentando e os ruins aparecendo com menos frequência. Força <3

Deixe seu comentário!