iZombie ensina que às vezes as coisas só dependem de ponto de vista

izombie_2014_cast-1366x768

Na última semana (dia 4 de abril), estreou nos Estados Unidos a terceira temporada de iZombie, série americana do canal CW baseada em uma história em quadrinhos da DC publicada pelo selo da Vertigo. Aproveitei pra vir aqui e falar de uma das minhas séries favoritas e delicinhas!

Na história, nós acompanhamos a mudança 180º que acontece na vida da médica residente Liv Moore (Rose McIver) quando ela vai para uma festa num barco e de repente se vê transformada em um zumbi. Rapidamente nós somos introduzidos a todo um submundo dos zumbis que existe na cidade. Quando a história começa, a Liv já trabalha no necrotério da polícia da cidade de King County (onde ela pode comer o cérebros dos mortos durante as autópsias, assim, evita matar pessoas) e conhece o Ravi, que é chefe e melhor amigo dela.

A série fica incrível por causa de algumas sacadas, o que faz com que iZombie apresente seu melhor em seus dois principais temperos especiais 😀

A história é narrada de forma super criativa

Além de contar com uma narração da Liv, a parte gráfica da série super se inspira nos próprios quadrinhos, não só na abertura como nas transições de cena. Isso é um toque super legal que faz com que o diálogo com a “obra mãe” seja completo, apesar de não necessário.

A maneira mais legal de resolver crimes

O grande gancho da série está, claro, na conexão que a Liv tem com os cérebros que come. Isso porque, quando ela come o cérebro de alguém, ela consegue ter uns vislumbres de alguns momentos da vida dessa pessoa. Por comer cérebros de pessoas que morreram e foram parar no necrotério da polícia, isso dá pra ela uma oportunidade de trabalhar junto do Clive, detetive da delegacia. E essa dinâmica é absolutamente incrível!

Quando Liv precisa mudar a vida e adequar sua nova rotina com suas novas necessidades, ela dá a si mesma uma lição diária sobre como enxergar sua vida sob novos pontos de vista. Além disso, também carrega uma mensagem sobre como conseguir se adaptar a mudanças e como começar uma nova vida quando a sua é sacudida por algo que, na maioria das vezes, a gente não pode controlar.

Tem um pouco de tudo: amizade, ciência, investigação, sangue e zumbis!

iZombie não é pesada e nem leve totalmente, embora eu não a recomende para pessoas com estômago fraco. Apesar de ter uma temática bem simples e com personagens que deixam a série pelo menos com 80% de alívio cômico, a CW fez um trabalho que pode ser bem visceral.

A primeira temporada já está disponível na Netflix, e a segunda deve estar vindo por aí, então porque você não aproveita e já começa?

Só não vai assistir jantando! 😉

Comente pelo facebook

1 comment

  1. Duds, eu gosto muito de iZombie também!
    Estava esperando muito pra voltar logo, porque parece que algumas coisas vão mudar e quero saber quem é ou quem são os vilões da vez.
    O fim da segunda temporada foi bem interessante e deu um gancho para mais coisas.
    Abraços!

Deixe seu comentário!