La La Land é o cinema finalmente mandando a real pra gente sobre sonhos

lalaland

Se você é um membro da rede mundial de computadores, nem que seja há apenas dois meses, sabe que La La Land, o último filme de Damien Chazelle, estrelado por Emma Stone e Ryan Gosling, é o assunto principal das redes sociais, seja como filme mesmo (atores, fotografia, cenas…), seja como a trilha sonora que é cheia de um jazz bem delicinha.

Tirando dessa conversa tudo que a internet já possa ter discutido de bom, ruim, louvável e problemático sobre o filme, La La Land vem como mais uma produção de Damien que mostra não só como a música molda o jeito como vemos o mundo como foi com Whiplash, mas, acima de tudo, é um filme que mostra o jeito real de lidar com os nossos sonhos e com os sonhos dos outros.

Estamos acostumados a sentar na cadeira do cinema e assistir histórias de casais que se dão um pelo outro e pelos sonhos AO MESMO TEMPO, e a verdade é que a vida real não é nem um pouco assim. Nós estamos finalmente entrando, em 2017 e mesmo que tardiamente, em uma fase do cinema que nos mostra a vida como ela realmente é –Emma e Ryan nos contam a história de um casal que poderia existir, que existe, que tá por aí, e que muito provavelmente vai ter um fim bastante similar.

A gente sabe que existem vários tipos de pessoas e vários tipos de variáveis em um relacionamento mas uma coisa que o cinema dificilmente diz para sua audiência é que você jamais pode desistir de um sonho por causa de alguém. Isso é uma coisa que a gente já vive –quando um amigo passa na faculdade que quer ou é aprovado no emprego dos sonhos– mas que não leva pro campo do amor.

É bem fácil entender porque La La Land foi muito importante para tanta gente, a resposta vem rápida quando se junta a história de sonhos com pessoas que não tocam piano tão bem assim e que não são tão afinadas mas que passam exatamente a emoção que precisam passar: é uma história real sobre pessoas reais.

Uma ode ao cinema que finalmente nos manda a real!

Bônus track: se você gostou de La La Land, provavelmente vai gostar de…

Begin Again (Mesmo Se Nada Der Certo) foi aquele filme que ligou a chavinha das pessoas que nunca gostaram tanto de musicais mas que resolveram dar uma chance. Com um elenco que une Keira Knightley, Mark Ruffalo e Adam Levine, o filme virou um grande abracinho sobre términos e, claro, sobre começar de novo. E claro que nós amamos e já falamos dele aqui!

Once (Apenas Uma Vez) entra na onda de musicais modernos e se passa em Dublin, cidade que eu tô aprendendo a amar cada dia um pouquinho mais. É uma história não apenas de primeiras e únicas vezes, mas também uma história sobre como algumas das melhores histórias de amor não necessariamente acontecem.

Comente pelo facebook

Deixe seu comentário!