Por que vale a pena correr atrás dos sonhos e continuar curioso

Pesquisas apontam que 6 em cada 10 universitários brasileiros querem empreender, e 3 de cada 4 brasileiros querem ter o próprio negócio. Esta é a taxa mais alta no mundo, comparada aos outros países. Mais do que grana, estabilidade e recompensas pessoais, a maior motivação é a independência*. Quem contou isso pra gente foi a Juliana Mendonça, que conhecemos quando viajamos para o Rio para falar sobre a busca da felicidade. Ao lado de Cristiane Schmidt, ela toca o Continue Curioso – uma websérie que começou em 2013 e inspira a gente a seguir os sonhos. Já conversamos sobre o quanto é importante compartilhar histórias assim, não é mesmo? Elas ajudam a gente a ver como é possível ir atrás dos sonhos e viver uma vida feliz, e estimulam bastante aquela lombriguinha da mudança.

A primeira temporada contou as histórias de gente que largou tudo e mudou de vida – assim como as próprias criadoras do projeto, Juliana e Cristiane; e como nós aqui do Indiretas do bem. Gente que um dia decidiu viver os sonhos e correr atrás do que lhe faz feliz.

André Bandin e Bruno Bocchese, os empreendedores-personagens da segunda temporada. Foto: continuecurioso
André Bandin e Bruno Bocchese, os empreendedores-personagens da segunda temporada. Foto: continuecurioso

Agora que o ano virou e é hora de uma nova temporada começar, o Continue Curioso quer ir além das pessoas que mudaram de profissão e transformaram suas vidas: a ideia é falar em empreender, começar um negócio do zero. “Nossa intenção com essa temporada é inspirar e mostrar que um espectador de alma empreendedora não tá sozinho nessa. Vamos mostrar duas pessoas que estão fazendo acontecer e como elas estão fazendo”, conta Juliana.

Durante os próximos 6 meses, a série vai acompanhar a vida e o negócio de dois empreendedores que começaram do zero. Vamos ver o negócio deles crescer, olha só! O primeiro episódio da temporada estreou hoje, às 11h e conta como a dupla se conheceu e começou o negócio. Confira:

A segunda temporada tem o título “Ramo. Uma jornada sincera sobre uma nova empresa” e terá dois vídeos por mês. Curtiu? Se quiser se inspirar também e acompanhar tudo de perto pode assinar o canal do Continue Curioso no Youtube. Vamos descobrir juntos por que vale a pena correr atrás dos sonhos e continuar curioso? 🙂

*pesquisa Empreendedorismo nas Universidades Brasileiras 2012 da Endeavor Brasil.

Gente que inspira a gente: Michelle Gallon @mi_inthesky

headermischa
Mischa e suas paixões: unicórnios e discos de rock memoráveis

São raras as pessoas que nos inspiram a sermos nós mesmos. Às vezes é difícil encontrar nossa essência e se manter fiel a ela, não importa o que o resto do mundo diga. Mas sempre tem aquela pessoa que te fala: “vai em frente, não mude por causa dos outros não!”.

São pessoas que se destacam, mas não pela sua maneira expansiva ou desembaraçada, mas sim pelo jeito jeitinho especial, às vezes tímido, que conquista a gente num segundo. Apaixonantes, elas são únicas em todos os sentidos, mas que ao mesmo tempo conseguem ser igualzinha a gente. Pois é, eu sei que você tem um amigo assim, ou conhece alguém que tenha. Eu conheço uma delas, e é a Michelle Gallon, mas pode chamar de Mi ou Mischa.

Eu conheci a Mischa logo no primeiro ano da faculdade e nos tornamos grandes amigas. Amigas de trabalhos incríveis, projetos pessoais e confissões de vida. Quem vê toda a fofura da Mi nunca diz que seu estilo musical preferido é o heavy metal e que é apaixonada pelas músicas mais pesadas. Achava engraçado quando o celular dela tocava uma música do “Cadaveria” e ela atendia toda fofinha “Oi mããe!” hahaha Uma fofura usando camisetas do Ozzy <3

O que eu mais admiro nela é a coragem de mudar e ir atrás daquilo que ela realmente acredita: não está feliz no seu trabalho? Mude! Não está feliz com seu cabelo? Pinte de rosa! E daí se alguém for te julgar? O importante é você estar bem consigo mesmo, fiel aos seus sentimentos e vontades. No fim do dia, não é isso que move a gente? Pessoas assim são importantes de serem compartilhadas (:

Hoje a Mi é diretora de arte, jogadora de Roller Derby, minha grande parceira na página 5 Coisas e desenha para desabafar e colocar as ideias em ordem no Projeto Rabisco. Logo que começamos o Indiretas convidamos a Mischa para uma missão: criar a identidade do Indiretas do Bem usando toda a sua fofura e amor! Sabe esse logo que vocês conhecem hoje e está em todos os nossos posts? É criação dela!

O início – Desenhando para lavar a alma

Sempre com os cadernos cheios de desenhos e cores, ela nunca fez nenhum curso ou algo do tipo, apenas seguia uma vontade enorme de desenhar e fazer algo com o coração: “Foi uma coisa meio natural, meu pai sempre teve um talento pra isso e incentivou esse tipo de coisa lá em casa”- conta.

Foi na faculdade que a Michelle descobriu que o hobbie poderia ser levado a sério: “Eu escolhi publicidade por afinidade com algumas coisas que via por aí, até que eu vi um trabalho da Elisa Sassi  e fiquei apaixonada!”. A partir daí ela passou a canalizar sua vontade de desenhar dentro da sua profissão de publicitária: “Tentei fazer o possível para trabalhar com alguma coisa dentro da publicidade aonde eu pudesse usar esse lado mais artístico”.

elisa
Uma das artes super fofas da Elisa Sassi <3

Descobrir que algo te faz feliz e encontrar um espacinho aonde você pode encaixa-lo no seu dia a dia é algo realmente especial! A gente sempre comenta aqui sobre o quão importante é fazer algo que você ama, certo? Essa é uma das provas de que podemos trabalhar sim com aquilo que amamos e nos sentirmos realizados de alguma forma.

Inspiração – Gente (e situações) que inspiram todos os dias

Inspirações vem de todos os lugares, e de onde menos esperamos: pode ser de uma música que a gente gosta, histórias de outras pessoas, ou até mesmo de uma cena inusitada do cotidiano. Inspiração não tem muita hora nem lugar!

A Mi compartilhou alguns dos artistas que mais a inspiram e são referência para o seu trabalho: “Sou muito apaixonada pela russa Lora Zombie, a Ana Montiel e a Emi – quem eu acompanho o trabalho desde pequena (a mulher só faz coisa linda desde os 12 anos de idade!). Também gosto de acompanhar o blog da Cherry Blossom Girl, que é cheio de roupas, coisinhas e fotos lindas.”

Na hora de criar, tudo sai de um sentimento só, de uma vez só. A música ajuda a embalar o processo criativo e aí começam os rabiscos. “Já comecei desenhando uma lágrima, que virou um pedaço de um mar todo revoltoso“. Sabe aquela coisa de deixar o sentimento tomar conta da gente e ir seguindo, sem muito destino? Muitas vezes a criação é assim.

miee

A Mischa já conseguiu alguns bons trabalhos por conta do seus desenhos, mas ainda quer mais: “o plano agora é começar mais um projeto paralelo, que envolva ilustração e confecção manual, mas isso ainda é surpresa :D”  

Conselhos – Para quem quer fazer o que ama e seguir o coração

Perguntamos para a Mischa qual conselho ela daria para quem anda com essa mesma vontade de ir atrás de alguma coisa mas ainda não está completamente seguro:

Eu nunca fui realmente atrás de um curso de desenho mas, sempre achei que isso pudesse ser no máximo um complemento pra outras coisas que posso fazer como profissional. Só resolvi fazer isso agora, depois de formada, e muito mais preocupada com as contas pra pagar do que com a parte poética da vida (mas não desisti!). Vá atrás do que você quer! Se tiver apoio, ótimo. Se não tiver, não importa! Todo mundo tem talento, é só desenvolver e acreditar que é possível transformar esse prazer em algo que possa ser útil de outras formas também. Viva do que te faz feliz! ”  

Você pode acompanhar o Projeto Rabisco aqui e ver todo o portfólio dela aqui! Recomendo também seguirem a Mischa no Instagram, sempre rolam desenhos por lá, além de fotos muito inspiradoras!

E se vocês não conhecessem, a gente tem um projeto conjunto que é o 5 Coisas, curte a gente no Facebook! 🙂

mischainspira

Desafio Literário do Tigre – Fevereiro: A menina que colecionava borboletas #DLdoTigre

borb1

Em fevereiro, o tema do Desafio era JULGANDO PELA CAPA. Confesso que tenho alguns outros títulos por aqui, mas já começados. Queria um pra começar e terminar esse mês, senão ia me sentir trapaceando. Daí lembrei da capa maravilhosa do último livro da Bruna: A menina que colecionava borboletas é seu terceiro trabalho como escritora e esgotou antes mesmo do lançamento oficial. Isso mesmo: o livro já está na segunda tiragem. Beijinho no ombro, né? E, para nossa sorte, a capa, que é uma ilustração linda da Malena, nem de longe é a melhor parte dele. <3

A menina que colecionava borboletas é, até o momento, o meu favorito entre os livros da Bru: a escrita e as reflexões amadureceram, você vive as emoções conforme lê, é um conjunto rápido e fluido de crônicas que devorei de uma vez só e me deixou com vontade de correr pro computador e escrever mais. Em resumo: saber que alguém passa pelos mesmos dilemas amorosos e profissionais, ou que vê a vida de uma forma completamente diferente da sua e ainda assim conclui as coisas de forma igual… Bom, isso inspira. E esse livro me inspirou muito.

Identificação: a gente vê por aqui.
Identificação: a gente vê por aqui.

Além das crônicas que contam sobre a transição do interior para a cidade grande, da adolescência para a vida adulta e da descoberta de novas formas de amar – alguns já publicados no Depois dos Quinze, outros inéditos -, A menina que colecionava borboletas também tem aqueles elementos especiais que já são tradição nos livros da Bruna: ilustrações e frases marcantes e uma playlist incrível para acompanhar a leitura. Em resumo: não é só a capa, mas o livro todo um mimo.

Eu, se fosse você, corria pra livraria e garantia a leitura! Sério. Deixou a minha tarde muito melhor. ^_^

IMG_9845
Nos títulos, brincadeiras com os tipos. Amo sim ou sim?
IMG_9844
Ilustrações destacam ainda mais as crônicas <3
IMG_9837
Detalhe das ilustrações da Malena: é tudo tão lindo que dá vontade de arrancar e emoldurar.
IMG_9832
A playlist especial pra acompanhar a leitura é a cara da Bru e não dá pra ouvir sem bater o pezinho, sorrir, respirar fundo e… Oops, é um cisco no meu olho? :’)

Em março o tema do desafio é Filme ou Livro? e eu confesso que o cérebro já está bugando só de pensar em qual escolher. :~

Não conhece o Desafio Literário do Tigre? Contamos sobre ele aqui!

—— PARA LER EM CASA ——
A menina que colecionava borboletas
Bruna Vieira
Editora Gutenberg