Seja quem você ama

Então… Eu sou gorda. Por muito tempo a minha mãe não me deixava usar essa expressão. Ela me fazia dizer “eu estou gorda”, dizia que eu não deveria aceitar essa condição e sim emagrecer, tentava criar solução pra um problema que nem existia. Minha mãe me ama e queria me proteger, só isso. Eu era bem mais magra do que sou hoje, aliás. E não me sentia incomodada com o meu corpo – me sentia incomodada com o fato das pessoas se preocuparem tanto com ele. Mas eu era jovem (ainda sou!!!) e achava que a solução era ceder a esses apelos externos. Afinal, “gorda não pode ser saudável”, né? “Não existe gorda feliz”. E “gorda assim você nunca vai arrumar um namorado, Ariane”. Se quem já havia vivido muito mais que eu dizia isso, quem eu era pra duvidar?

Não, não e não. Em algum momento da vida, que eu não lembro qual, mas que foi muito importante pra minha evolução, eu decidi que isso não me importa. Não estou falando do fato de estar fora do padrão, porque eu sempre estive e sempre gostei de ser assim. Sempre pintei o cabelo de cores estranhas, sempre coloquei piercings e usei maquiagem preta e camisa de banda até pra ir à igreja, sempre fui fiel ao que queria.

minha única foto de biquini na adolescência. já vai completar DEZ ANOS. :~
minha única foto de biquini na adolescência. já vai completar DEZ ANOS. :~

O que não me importa mais é o que os outros pensam sobre mim. Mesmo que sejam pessoas que eu amo. Quem gostar de mim, gosta do que eu sou. O pacote completo. Sobretudo, quem gostar de mim sabe, por exemplo, que eu faço academia sim, apesar de não ficar postando foto. E que eu controlo minha alimentação, apesar de não fazer dieta. E eu não faço questão que as outras pessoas saibam mesmo disso, porque é exclusivamente pela minha saúde (que, por sinal, é excelente! obrigada).

“Mas se você não se importasse de verdade, não estaria falando sobre isso”. É, eu também pensei assim por muito tempo. Calei diante de um monte de gente babaca porque pensava “Foda-se, eu tô feliz e é o que importa”. Só que nos últimos tempos eu percebi que muita gente passa por isso e nem todo mundo percebe a importância de ligar o botãozinho do foda-se. Em um dia comum do meu recesso, postei fotos minhas na praia e recebi parabéns pela coragem! Que coragem, gente? Eu estava ali, curtindo um momento específico, e publiquei uma foto dele. Faço isso todos os dias. Não preciso de coragem pra postar uma foto minha.

praia2
Euzinha no recesso de Janeiro.

Mas muita gente precisa. Comecei a receber mensagens de pessoas agradecendo por mostrar a elas que você pode ser feliz exatamente como você é. Que você não deve nada a ninguém. Que não importa se você é gorda, magra, alta, baixa, peituda ou não – se você se sentir bem assim, ninguém tem nada a ver com isso. E que se você não se sentir, tem todo o direito de correr atrás daquilo que acha melhor pra si. Por si mesmo, não pelos outros.

Não recebi só agradecimentos, não. Claro que não, né? Estamos na internet. De repente, começaram a pipocar no meu email algumas mensagens odiosas – anônimas – criticando meu corpo. Nessa hora eu entendi o tal elogio “parabéns pela coragem”: as pessoas acham que você está se sujeitando ao julgamento delas. Eu não estou. e ninguém deve estar. Você não é obrigado a me achar bonita – não é obrigado a achar ninguém bonito, na real. Mas o mínimo que você pode fazer é respeitar as escolhas dos outros.

Um exemplo muito mais claro é a Tess Holiday, uma das mulheres mais lindas que eu já vi, e que na última semana fechou contrato com uma agência de modelos e virou notícia no mundo todo por ser a primeira plus-size a conseguir isso. Milhares de pessoas atacam-na todos os dias por ser “horrorosa, apesar do rosto lindo”, por fazer “apologia à obesidade”, por “querer chamar a atenção”, motivos que não fazem sentido nenhum, veja bem – a única coisa sobre a qual a Tess fala diariamente é ser feliz exatamente como você é.

Captura de Tela 2015-02-02 às 10.38.17

Achei divertido parar pra pensar nisso. A parte triste é que as pessoas se importam mais em patrulhar o corpo alheio do que cuidar de si mesmas. A parte feliz é que eu não tô nem aí pro que é importante pra qualquer um além de mim e acho que todo mundo devia ser mais assim. Com mais Tess Holiday e menos meninas morrendo por conta de distúrbios alimentares. Com mais Vanessa Braga, indo lá e arrasando. Meu lema é: estou feliz, tenho plena consciência de quem eu sou e do que eu quero pra minha vida e, embora eu não viva fazendo apologia a um estilo de vida saudável ou ao “ame-se como você é”, eu realmente acredito nisso. E eu sei que me amar como sou não significa que todos tenham que me amar também. Acho que é isso que falta as pessoas entenderem: que muita gente vai vir com dez pedras na mão sem nem conhecer você ou sua história, apenas porque você não segue alguns padrões. E você não deve dar ouvidos a isso.

Essas pessoas estão passando por problemas muito mais graves do que aqueles que elas apontam em você: elas não atacam você porque você é especial, elas atacam você porque não sabem lidar com o fato de que você está tranquilo fora da curva. Elas não se aceitam, lutam todos os dias para estarem num padrão e, quando veem alguém que consegue ser feliz fora dele, sentem-se pessoalmente ofendidas. Então, a única coisa a esperar de verdade é que essas pessoas que gastam seu tempo mandando mensagens odiosas sobre o corpo alheio possam um dia ser felizes com os seus. 🙂

Se você não está feliz, tem todo o direito de mudar. Você pode e deve ser quem você quer e como quer. Não pelos outros, mas para ter paz ao se olhar no espelho todos os dias. Mas se você está feliz e te disserem que isso é errado, nem se preocupe em responder.

No mais, a Tess está lá linda e rica assinando contratos e mais contratos e sendo conhecida pelo mundo todo. Vanessa Braga desfilou e se sentiu maravilhosa, é isso que importa. E eu? Eu tô aqui curtindo esse verão de 40º e vai ter foto de maiô se eu quiser. Vai ter de lingerie e até pelada se der na telha. Assim é a vida. Não é questão de coragem, é questão de autoconhecimento. E olha: o que não falta é gente diferente – e linda! – pra provar que dá pra se feliz SIM.

Quem não gostar pode sempre dar unfollow e seguir as modelos que tem conta nas redes sociais. Eu sou assim e é assim que vai ser. É extremamente ok que você não ache bonito. Que você não goste. Mas não é nem um pouco aceitável que você não respeite.

E você? Como é e como gostaria de ser? Só o que importa é o que você se diz quando olha no espelho.

tumblr_mn818bP2sC1qfoj4do1_1280

Ps: Quando você vir alguma pessoa que você gosta se punindo e pensando mal de si mesma por conta do comentário de outras pessoas, lembre-a de não ser tão dura consigo mesma. Quando a gente aprende a se amar, fica muito mais fácil encarar qualquer coisa. 🙂

Comente pelo facebook

31 comments

  1. Ariane, faz tempo que queria te mandar uma mensagem e não tinha encontrado um momento adequado (e existe?) ou uma forma de começar. Agora encontrei.
    Te seguia no google reader e, importando os contatos de lá, te adicionei no fb, você aceitou e desde então vejo as coisas que você posta e fico sempre encantada com a sua beleza, seu talento, seu senso de humor. Você é linda mesmo! Te acho super estilosa (detesto essa palavra, mas não consigo pensar em outra melhor pra usar aqui) e amo seus vestidos.
    Sobre o corpo: também sou gorda. E gordos sabem como é a pressão da família, dos amigos e dos estranhos. “um rosto tão lindo, podia ser mais vaidosa, podia se cuidar, podia emagrecer, sua irmã é tão magrinha…”. Tenho 28 anos e sempre ouvi comentários e piadinhas sobre o meu corpo, sempre tive apelidos grosseiros relacionados ao meu físico. Apelidos de família mesmo. Cresci achando que era normal , que tudo bem, porque eram apelidos carinhosos.
    Mas há pouco tempo vi que não tá tudo certo, não, não é normal. Isso acabou com a minha auto-estima por muito tempo. Ainda hoje ela não é grandes coisas, principalmente depois de uma gravidez e uma cesárea que me deixaram muitas estrias e uma cicatriz que deformou uma tatuagem que tenho perto da virilha. Fiquei mais de 1 ano sem olhar meu corpo no espelho. Até pouco tempo atrás eu não sabia como era a tal cicatriz que, segundo o obstetra, tinha estragado um pouco a tatuagem. Minha filha está com 2 anos e, só agora, pensando no que quero que ela tenha como modelo de mulher, resolvi que era hora de me amar mais, me aceitar mais, me cuidar mais. Ainda não sou nenhum exemplo de auto confiança, estou até longe de ser, mas sei que estou no caminho certo.
    O que queria te falar, então, é que você tem sido uma inspiração pra mim. Não em termos de estilo, porque sou muito basiquinha jeans+camiseta, mas em relação ao foda-se mesmo, ao amor próprio. Não tem motivo pra gente não se amar, não tem razão pra esconder o corpo. A beleza e a gostosura tá toda ali, qual o problema em mostrar o que é bonito se tanta gente mostra e tanta gente gosta de ver? Vejo esse amor próprio em cada foto sua e isso me enche de vontade de me amar mais também.
    Então, olho minha filha e tenho a motivação, olho pra você e me inspiro.
    Você é linda mesmo e, obrigada por me ajudar a perceber que sou linda também.

    =)

  2. Carol

    Obrigada! Apenas isso.

  3. Nossa, esse texto não poderia ser melhor.
    Também sou ”Acima do peso”, ”Gorda”, ou ”Fofinha”. Cada um prefere de um jeito, mas a verdade é que sou gorda.
    Nem lembro a ultima vez que usei biquíni. rs Mas não ligo muito para o que as pessoas pensam e falam de mim.
    Eu e meus amigos lidamos com minhas gorduras da melhor maneira possível, rindo da situação. E não deixando que ninguém atrapalhe a alegria.
    Inclusive, meus amigos já colocaram pessoa em seus devidos lugares quando vieram com palavras ‘pesadas’ para mim.

    Sou igual a você, procuro cuidar da minha saúde e se perder peso é um bônus ou consequência. . Na maior parte do tempo eu ouço que tenho um rosto tão lindo e que devia emagrecer. isso de fato irrita um pouco!! Acabo fazendo igual a você, se faço dieta, exercício ou apenas regulo minha alimentação não fico falando pra ninguém.. por que, ninguém paga minhas contas não é mesmo?

    Bom, tenho que dizer que achei você uma pessoa linda e ignore quem disser o contrario e alem de linda é estilosa!! Adorei as tatuagens!!!
    Parabéns pelo Blog e principalmente pelo texto, está ótimo!!!

  4. Eu te acho maravilhosa por dentro e por fora. Eu te acho linda por dentro e por fora.
    E eu acho teu corpo maravilhoso assim como teu bom gosto, teus batons, teu gosto musical, pra livros e várias partes de você.
    Foda-se os outros.

  5. Ari, passei por uma situação parecida nessas férias de final de ano: postei uma foto minha vestindo biquini hotpants nas redes sociais e foi um auê por dias! a melhor parte: não recebi NENHUM comentário negativo, fiquei impressionadíssima, achei que ia chover chorume em cima de mim. muitas mulheres me mandando mensagem parabenizando pela coragem, algumas pedindo dicas de onde comprei o biquini, alguns inboxes com depoimentos de depressão por não aceitar o próprio corpo… cara, nunca pensei que uma fotinha mixuruca fosse provocar tanta coisa. fiquei emocionada e pensando sobre isso… o quão real é a encanação da mulherada com o próprio corpo. não me faço de rogada, não, também tenho minhas encrencas e nóias, mas, não sei, talvez porque nasci e cresci perto do mar e indo muito à praia e adorando isso, mesmo às vezes me sentindo exatamente como você (mal por que as pessoas se incomodavam tanto com o meu tamanho), eu era ~ozada~ e botava roupa curta, biquini, tentava ser como qualquer uma, sabe… lindo o seu texto, você é linda e parabéns pela atitude! <3

  6. Letícia Pontioli

    Adorei o texto, e adorei a autenticidade! Você é exemplo, e tem gente que inveja isso! :****

  7. Débora

    Olá! Amei seu blog! Tenho vivido esse lema tbm de se amar. Meu esposo me defende muito, ele diz para todos e todas que sou muito linda e que ele gosta muito do jeito que sou. Fico feliz, me cuido e me amo cada dia mais! Bjs

  8. Carol

    Magros, gordos, brancos, negros, heteros, gays, jovens, velhos…. Res-pei-to. É isso que importa!
    Texto incrível, atitude maravilhosa, exemplo pra muitos…parabéns, Ariane! =)

  9. Ariane Pohl

    É isso.. Sorriso largo por aceitar a si.. Afinal é a única aprovação da qual depende a nossa felicidade.

  10. Você é linda de todas as formas! E é ainda mais linda por pensar assim, por se valorizar, por meter o foda-se, por ser feliz a cima de tudo. Essas pessoas deveriam colocar a mão na cabeça e refletir um pouco sobre esses assuntos e pensarem um pouquinho antes de tentar ofender alguém. E mesmo que você meta o foda-se e tente não se importar dói, e muito, seja você gorda, magra, alta, baixa, ou o que for. Só não podemos esquecer de primeiro amar você próprio, porque o resto a gente se vira. Agora lembrando aqui, vamos divulgar aquele movimento lindo que a Amanda Arruda criou sobre “ser gentil é legal”, porque isso cabê direitinho nessa situação.
    Um abraço grande da Crespa, Ariane.

  11. Daiane

    Parabéns pelo texto! Inspirador.

  12. Cintia

    Olá Ariane, adorei seu texto, parabéns por ser feliz como você é. Eu sempre me senti uma pessoa fora dos padrões em todos os sentidos. Por ser gordinha, por não ser alienada, por sempre ser crítica e questionar ao invés de simplesmente obedecer sem mais nem menos. Sinto que é um fardo ser diferente, parece que me sinto deslocada, como se não pertencesse ao mundo. É até estranho rs.. parece que eu sou errada por ser quem sou. Espero que um dia eu seja feliz também sendo como eu sou.

  13. Eu sou muito baixa e muito magra, tenho o cabelo mais conhecido pela sociedade como “ruim”, minha altura e meu peso não vem ao caso. Mas a vida toda sempre quis engordar, minha mãe sempre no é dizendo que era besteira, mas sempre quis. Depois de ver gente acima do peso se “aceitando”, gente abaixo do peso como eu se aceitando também, entendi, que para ser feliz é só se aceitar. E acho também que para muitas pessoas se aceitarem basta elas terem alguém a quem se inspirarem, para ter coragem e vontade de postar foto de biquini sim, e foto com roupa curta sim. E é o que eu pretendo passar para meus filhos, quando eu tiver: se amar e ter alguém para se inspirar acima de tudo.

  14. Oi Ari! Sabe o que foi engraçado para mim? Justamente quando estava indo escrever no meu blog sobre esse assunto, eu vi o link do seu post na timeline do face e você simplesmente arrasou, me deixou ainda mais inspirada! E quer saber? as pessoas adoram falar das outras, procurar os defeitinhos alheios, mas ninguém para pra pesar em si mesmo, não é? Textos como o seu, os comentários da Bruna Vieira e mais outras pessoas da mídia, nos fazem perceber que não há regras, somos quem somos!
    Beijos,
    Ana Beatriz 🙂

  15. Você é incrível mesmo, sempre fui magricela e as pessoas gostam tanto de encontrar defeitos em você e ficar todo tempo te apunhalando por isso, defeito para mim é falta de caráter, beleza tem a ver como você ver o mundo, e eu amei seu texto, você é linda não só por fora, mas por dentro, a sua essência.

  16. Falou tudo!
    Quem ataca é quem tem problema no próprio quintal e não consegue resolvê-los. Não tem nada mais lindo do que gente que se ama como é e que sabe o que quer.

  17. Erika Gastanes

    No meio onde vivo, ouço todo o dia, o dia todo…VC ESTA GORDA! VC CONSEGUE CORRER? VOCE NÃO SENTE MAL VESTINDO 52! Eh um inferno, até porque começa acreditar qe precisa mudar. E são pessoas como vc, qe me faz lembrar qe posso ser feliz com minhas medidas. Obrigada! Vc eh diva! Te descobri nesse texto virei fã, virei tiete!

  18. Eduarda Donadel

    Voce nao sabe como esse texto me ajudou e me inspirou a mudar. Eu passei muito tempo durante minha vida me castigando por razões desnecessarias e sofrendo por nada. Eu simplesmente nao conseguia me olhar no espelho e dizer ” eu me amo! ” . Ainda está sendo uma luta essa mudança, mas eu aprendi a ligar o botaozinho do “foda-se” e me amar acima de tudo. E seu texto veio no momento certo e está me dando coragem pra mudar e confiar em mim
    mesma. Muito obrigada, com todo o meu coraçao.

  19. Confesso que já tentei de todas as formas achar o tal do amor pelo/como sou que, teoricamente, era pra ter vindo de fábrica.
    Eu sempre fui um ser humano mais rechonchudo; quando criança e adolescente. Hoje me reeduquei alimentarmente e mandei embora aproximadamente 10kg.
    Claro que fiz por mim. Mas esse eu sempre me cobrou demais, sempre me disse que ser magra é sinônimo de felicidade. E eu queria tanto ser “feliz” por completo que acabei ganhando de presente um início de anorexia e bulimia. Olha que felicidade contraditória!?

    Embora eu já não tenha a maioria dos sintomas Encom frequência; e não tenha virado um esqueleto também, a cada dia meu pensamento é: você está em forma, NA SUA FORMA!
    Controlo a alimentação, procuro fazer exercícios, mas não pra ficar com barriga trincada nem nada disso, apenas por saúde.
    Hoje vejo que a felicidade plena está em me gostar (algumas vezes acontecem deslizes, confesso), em ter alguém comigo que me acha linda até com o cabelo desgrenhado pela manhã.

    Beijos

  20. Luísa Flávia

    Ariane,
    Toda vez que vejo esse tipo de post (que tem sido bastante publicado de uns anos pra cá, ainda bem) sinto uma enorme vontade de agradecer e abraçar quem o escreveu.
    São meninas como você que estão educando a sociedade aos poucos e ajudando milhares de mulheres.

    Não sou lá muito otimista, mas sinto que, pouco a pouco, estamos avançando no que diz respeito a gênero. Ainda falta um oceano de coisas a serem desconstruídas e desestigmatizadas, mas estamos no caminho.

    Um beijo meu, das minhas celulites e das dobras da minha barriga. 🙂

  21. Eu gostaria de dizer que fiquei apx por esse maiô desde que você postou a primeira foto com ele no facebook. Armaria lindo demais!
    E esse processo de auto aceitação nem sempre é fácil e simples mas é recompensador.
    Clap clap pela coragem de se expor. =*

  22. Passei a adolescência como uma magra desajeitada e comecei a me sentir mais mulher quando ganhei meus primeiros quilos a mais. Hoje tenho quase 90 kg e as vezes me olho no espelho e me sinto mais bonita do que quando tinha 55. Acho que a questão não deveria ser o tanto gordo ou o tanto magro de onde nos enquadramos. Porém, em um mundo de classificações vazias, acabamos utilizando nosso sentido mais suscetível à enganos. Com isso esquecemos que a vida é mais uma sucessão de ângulos de visão que dependem da perspectiva adotada pelo humor do momento para interpretar o mundo.
    Aprendi com a minha mãe a ser crítica com a minha aparência e aprendi com meu marido a separar beleza de tamanho. As vezes uma tendência se faz mais presente do que outra, mas no fim é justamente no equilíbrio das coisas que encontramos os momentos de felicidade.
    O fato mais importante que o teu texto me ajudou a lembrar é que precisamos superar muitas coisas que não importam para podermos reconhecer as que são realmente essenciais.
    Só gostaria de viver em um mundo onde a aparência de alguém fosse uma consequência natural de um conjunto de escolhas, experiências, pensamentos e valores.

  23. Raquel Ornelas

    Nossa, você é linda!!!! Em todos os sentidos!!!! Eu amei o seu texto!! Não sei se já escreveu outros, conheci o blog agora, mas com certeza já virei sua fã!!! E te parabenizo sim, não por ser corajosa como muitos pensam, mas por mostrar para outras pessoas que sofrem preconceito que é possível ser feliz da maneira que somos!! Obrigada! Aprendi uma grande lição com você! Beijo

  24. Olá Ariane!
    Em primeiro lugar parabéns por todo trabalho que você e a Jéssica fazem! Vocês são duas lindas que fazem do nosso mundo um lugar melhor!
    Sobre seu texto: F-A-N-T-Á-S-T-I-C-O!! Sinta-se abraçada! hahaha!
    Eu sempre fui a menor e a mais magra de todas na minha turma, hoje tenho 22 anos e ainda tenho que procurar algumas roupas e sapatos na seção infanto-juvenil. Me vestir como alguém da minha idade é muito difícil, afinal a moda hoje em dia ainda não está totalmente adaptada aos diversos tipos de corpo, né?
    Não me envergonho de ser como sou, tampouco acho que qualquer outra pessoa, gorda ou magra, baixa ou alta, negra ou branca (etc.) deveria fazê-lo. Acho que aceitar as diferenças, respeitá-las e valorizá-las são as coisas mais bonitas que podemos fazer em sociedade!

    Novamente, muito obrigada pelo seu texto, foi incrível, sério! 🙂

  25. Thiara Piazza

    Ariane, vou te contar uma coisa, não tem Tess nem Fluvia Lacerda VOCÊ é minha hole model, inspiring person. Digo isso não pela “coragem” de mostrar seu corpo num blog sujeita ao julgamento de algumas pessoas com uma mente do tamanho de um arroz, e sim porque você é essa pessoa super cool, de bem com a vida, com esse blog lindo, essas suas tatuagens maraaaaaa, eu preciso te dizer obrigada pois você me fez ter certeza de que eu estou certa em desencanar desse padrão de beleza super magro que me foi exigido por toda minha vida “faz dieta”, “tá precisando de dieta”, “precisa emagrecer”, “você tem o rosto lindo só precisa emagrecer”, vivo ouvindo essas coisas clássicas, faz pouquíssimo tempo que eu parei de me preocupar com essa coisa de TER que ser magra, eu não TENHO que ser magra se eu me sinto bem com meu corpo, com meu peso, eu sou feliz assim e esse seu posto só me fez ter mais certeza disso, então OBRIGADA Ariene por ser tão inspiradora.

  26. MILHÕES DE APLAUSOS <3 <3 amei seu texto e ele me ajudou muito e espero que ajude muitas outras pessoas, você é linda e está de parabéns (não pela coragem, mas por esse texto maravilhoso mesmo) <3

  27. Parabéns pelo texto incrível e inspirador!
    Vocês são duas lindas e estou adorando meu Livro do Bem e acompanhar o trabalho das duas! 😉

    Beijos!

    Clá | blog Uma Garota Carioca

  28. Oi Ariane, achei super importante esse texto. Sempre fui cheinha e sempre sofri muito por isso, pois eu não queria ser assim e tive anorexia e bulimia por querer resolver a situação da forma errada. Eu nunca gostei de ser gordinha muito mais por mim do que pelos outros, apenas me acostumei com a situação. Felizmente há pouco tempo me convenci de que tenho que cuidar mais da minha saúde e estou firme e forte fazendo exercícios e comendo legal pra emagrecer e ficar do jeito que eu quero por mim, e não pelos outros. Acho que devemos ter orgulho do que somos e se não temos temos que buscar o que queremos ser. Amei o texto!

    http://glifeblog.com/

  29. VIVIANE

    APLAUSOS ! ACIMA DE TUDO INTELIGENTISSIMA.

Deixe seu comentário!