Séries que foram canceladas mas a gente ama mesmo assim!

Já zerou a Netflix e não sabe mais qual série assistir? Cansou um pouco dos programas que todo mundo não para de falar? Entra ano, sai ano, e a gente conta com a certeza que as grandes séries vão continuar ganhando novas temporadas e fazendo sucesso por aí… Enquanto muitas outras vão para o cemitério antes do que deveriam.

O mundo das séries é um buraco sem fundo – e sem volta, devo admitir – e vai chegar um momento em que você vai querer se aventurar naqueles programas que foram cancelados (mas que são ótimos!) Pode ser que te aperte o coração chegar nos últimos episódios da segunda temporada e saber que, infelizmente, não vai ter continuação, mas vai valer a pena. Eu prometo!

Firefly

io3opaq

Temporadas: 1 (2002-2003) | Firefly é uma série de ficção científica do mesmo criador de Buffy: A Caça Vampiros e tinha tudo pra ser incrível, mas aí teve só uma temporada porque a FOX decidiu cancelar – além de não exibir três dos catorze episódios (não por falta de crítica positiva e boa recepção de público).

Ambientada numa espécie de futuro-faroeste, Firefly se passa em 2517. EUA e China se fundiram na Aliança e os humanos se espalham pelas bordas do sistema solar. O foco é a vida da tripulação da Serenity, uma nave da classe firefly, liderada por Malcolm Reynolds (ex-sargento da guerra civil contra a Aliança, que agora é capitão e contrabandista) e com outros oito personagens super peculiares. Tem uma mecânica que conversa com a nave, um piloto que ama dinossauros, um médico-riquinho-melhor-irmão, um padre que sabe muito sobre armas… São 9 pessoas dividindo uma mesma nave, sendo uma família, se arriscando e sobrevivendo nessa bagunça que é a vida.

Em 2005, lançaram um filme chamado Serenity, que apesar de nem chegar aos pés da série, serviu como encerramento para os fãs órfãos.

Pushing Daisies

tumblr_m49dtzobdc1qeysf2o1_500

Temporadas: 2 (2007-2009) | Não sei dizer qual é meu sentimento predominante quando o assunto é Pushing Daisies: amor demais ou sofrimento. A série gira em torno do confeiteiro (pie-maker, no original) Ned e sua estranha habilidade de trazer os mortos de volta à vida por exatos 60 segundos – parece meio macabro, mas na verdade é divertido e mais parece um conto de fadas.

Com grandes poderes vem grandes responsabilidades: Ned não pode encostar em alguém que já foi revivido ou a pessoa morre para sempre, e se deixar a pessoa viver por mais de um minuto, alguém próximo morre em seu lugar como forma de “equilibrar” o ambiente. A vida no seu restaurante muda quando investigador Emerson descobre esse estranho poder e propõe um pacto com Ned, de reviver vítimas de assassinatos para descobrir os culpados mais rapidamente.

Além de toda essa trama policial surreal, ainda temos o romance. Ah, o romance entre Chuck e Ned! É uma das coisas mais gracinha e sofridas de ver, porque eles se mama… Mas não podem se tocar! Ned foi contra seus princípios e reviveu sua namorada de infância Chuck, o que significa que eles não podem, nunca mais, se tocar – ou ela morre pra semprinha, sem chance de conserto. Personagens excêntricos, casos policiais e um toque de magia: é uma das minhas séries favoritas da vida, apesar de tão curtinha!

Flash Forward

mi_wall

Temporadas: 1 (2009-2010) | Das séries que sofreram com a greve dos roteiristas, perderam público e, consequentemente, foram canceladas. No caso de Flash Forward, eles ainda criaram um final, mas sabe quando o remendo sai pior? Mas a gente ignora essa parte porque o resto é muito interessante!

Um blackout misterioso faz com que todos do planeta desmaiem ao mesmo tempo por 2 minutos e 17 segundos. Durante esse evento, todo mundo tem visões de seis meses no futuro, exatamente no mesmo dia. Essas visões, chamadas de flashforwards, trouxeram o caos quando todo mundo acordou – era mesmo verdade? Isso não é a minha vida!

Mark, um agente do FBI, busca solucionar esse quebra-cabeças meio se sentido e conta com ajuda do Mosaico, um banco de dados que reúne e conecta as visões de todos os habitantes do planeta. Como já disse lá em cima, por conta da greve dos roteiristas, a série acabou sendo cancelada e, numa tentativa de dar um final e amarrar as pontas soltas, só estragaram (quase) tudo. Mas não deixa de ser uma série interessante e com bons personagens. E não, não é Lost!!!

The Carrie Diaries

tumblr_mzvnzlxonh1t42575o1_500

Temporadas: 2 (2013-2014) | Eu nunca me senti atraída por Sex In The City, talvez por ser mais nova na época e não me relacionar com os dramas das amigas. Continuo não sacando tudo, afinal, não estou na casa dos trinta, não sou rica e nem moro em NY. Mas me apaixonei completamente por The Carrie Diaries!

Sou suspeita para falar porque amo um drama adolescente, as relações entre família, amigos, primeiro amor etc. Gosto de tudo quanto é obra que fala sobre a busca e descoberta do ‘verdadeiro eu’. O ano é 1984: Carrie tem 16 anos e divide a casa com o pai e a irmã mais nova Dorrit – todos eles aprendendo a conviver sem a mãe. Na escola, tudo que todo clichê adolescente tem que ter: paixonite pelo novato badboy, uma rival metida, fofocas, perda da virgindade, primeiros empregos, baile, …

Além disso, a série mostra como surgiu o amor de Carrie por Nova York, onde ela conhece e faz amizade com Larissa, funcionária de uma revista badalada e super influente no mundo da moda. Carrie então começa a levar uma vida dupla, dividindo o estágio na empresa de advocacia que seu pai arrumou e o lado badalado e mágico que a cidade (e Larissa!) oferecem.

Don’t trust the B—- in the apartment 23

tumblr_mg6m242x041s2r1abo1_r1_500

Temporadas: 2 (2012-2013) | June, uma garota do interior recatadas, batalhadora, cheia de sonhos e esperanças de um emprego de sucesso, é demitida no primeiro dia de emprego – a firma fecha por conta da crise! – e se vê trabalhando numa cafeteria e indo morar com Chloe, a pior colega de apartamento possível.

Chloe acha que é a dona de Manhattan, zero pudor, tem valores meio imorais e gosta de passar a perna nos outros. É o início de uma linda e louca amizade, cheia de diálogos rápidos, humor ácido, situações absurdamente engraçadas e a tristeza de só ter duas temporadas.

Geralmente não boto muita fé em séries de comédia, mas assisti quase a primeira temporada inteira em um dia com minha amiga Lettícia, que me apresentou o seriado. E ah!, se isso ainda não te convenceu, tem a atriz que faz Jessica Jones sendo maravilhosa como Chloe.


Agora você me pergunta: por que essas séries maravilhosas foram canceladas? Eu não sei!

Mas vamos aproveitar o pouco que temos!

Comente pelo facebook

1 comment

Deixe seu comentário!